Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
product

As luzes de natal, ou pisca-pisca, são muito utilizadas durante as festividades de final de ano, para decorar a casa, e simbolizar o nascimento de Cristo. Mas quando elas começaram a ser símbolo de Natal e por que elas são utilizadas? Qual a história das luzes de natal? Quem inventou as luzes de Natal? Continue lendo para descobrir. 

Origem das luzes de natal

Antes de existir as luzes de Natal elétricas como conhecemos, as pessoas acendiam velas em volta das árvores de natal. Esse costume perigoso e que causou diversos incêndios na época, foi emprestado de um ritual pagão dedicado aos deuses ancestrais, onde utilizam velas para celebrar o retorno da luz do sol à medida que os dias ficam mais longos após o solstício. 

O uso da árvore de Natal também vem da cultura pagã, e foram levadas pelos cristãos para suas casas no início da Alemanha moderna, no século XVIII. 

Naquela época, as velas eram coladas com cera derretida nos galhos de árvore ou presas por alfinetes. Por volta de 1890, os castiçais foram usados ​​pela primeira vez para velas de Natal. Entre 1902 e 1914, pequenas lanternas e bolas de vidro para segurar as velas começaram a ser usadas. 

As primeiras luzes de Natal elétricas foram introduzidas na década de 1880, mas o mundo não estava pronto para elas. Até o pisca-pisca se popularizar e se tornar tradição do Natal, muita coisa aconteceu.

Quem inventou as luzes de natal?

Quem inventou as primeiras luzes de Natal foi Edward H. Johnson, amigo e sócio de  Thomas Edison. 

Mas Thomas Edison também ajudou nessa ideia, o inventor da lâmpada criou o primeiro fio de luz elétrica e durante a temporada de Natal de 1880, amarrou os fios do lado de fora do seu Laboratório Menlo Park. E quem passava pelas estradas que envolviam o laboratório viu pela primeira vez um visor de luz elétrica. 

Dois anos depois, Edward lançou a primeira série de luzes elétricas de Natal. Em 22 de dezembro de 1882, em sua casa na Quinta Avenida, em Nova York, instalou 80 lâmpadas vermelhas, brancas e azuis, e as enrolou em volta da árvore de Natal. 

Mas levaria quase quarenta anos para que as luzes elétricas de Natal se tornassem a tradição que todos conhecemos e amamos.

Quando as luzes de Natal de tornaram tradição?

Na época, ainda havia uma grande desconfiança em relação a iluminação elétrica. Mesmo após a invenção, passaram muitos anos para que então as pessoas começassem a decorar suas árvores de Natal e casas com pisca-pisca. 

Até início de 1900 as luzes não substituíram majoritariamente as velas, pois até então as luzes com cordas eram reservadas para os ricos e ou pessoas com conhecimentos elétricos. A fiação das luzes era muito cara e exigia a contratação dos serviços de um eletricista.

Para a aceitação das luzes de Natal e para poder ser um produto acessível a todos, alguns fatores ajudaram.

Em 1903 houve um crescimento no uso das luzes, pois a empresa General Electric começou a oferecer kits pré-montados, facilitando o acesso e a instalação. E ela também foi responsável pelo início das competições de iluminação comunitária durante a década de 1920 nos EUA.

A evolução das luzes de Natal caminhou junto com a da lâmpada, com algumas variações. As luzes de Natal incandescentes que iluminam dezembro percorreram um longo caminho e atualmente, existem diferentes tamanhos de lâmpadas e cores.